Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a COVID-19



Em cerimônia no Palácio do Planalto na manhã de 16 de dezembro, o Programa Nacional de Imunização deu publicidade à versão final do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a COVID-19. O documento de 110 páginas está estruturado em 10 eixos. Para facilitar à você, vou apresentar abaixo minhas impressões sobre cada um desses componentes:

  1. Situação epidemiológica e definição da população-alvo para vacinação;

  2. Vacinas COVID-19;

  3. Farmacovigilância;

  4. Sistemas de Informações;

  5. Operacionalização para vacinação;

  6. Monitoramento, Supervisão e Avaliação;

  7. Orçamento para operacionalização da vacinação;

  8. Estudos pós-marketing;

  9. Comunicação;

  10. Encerramento da campanha de vacinação.

Considerando que o plano é destinado aos gestores e não à sociedade em geral, os termos e linguagem é mais técnico e esperamos que deste material seja elaborado material para consumo da população.


Felizmente, diferente do documento enviado ao STF, nesta versão o Ministério da Saúde teve o cuidado de distinguir e incluir todas as vacinas de todos os produtores. Agora está claro o que é encomenda tecnológica estabelecida e forma que são duas:


Encomenda tecnológica:

Fiocruz/AstraZeneca
  • Até julho/2021: 100 milhões de doses

  • Até dezembro/2021: 110 milhões de doses (produção nacional)

  • Total estimado em 2021:

  • 210 milhões de doses

  • 21 milhões de possíveis falhas operacionais (perda, quebra, desvio de temperatura, roubos etc)

  • Saldo: 189 milhões de doses

  • Total de pessoas: 94,5 milhões de pessoas (2 doses)

Covax Facility 
  • Sem data definida: 42,5 milhões de doses (laboratórios ainda estão negociando com a Covax Facility o cronograma de entrega).

Memorandos de entendimento:


Foram firmados memorandos de entendimento, não vinculantes, que expõem a intenção de acordo, podendo sofrer alterações de cronograma e quantitativos a serem disponibilizados.


Instituto Butantã e farmacêuticas Bharat Biotech, Moderna, Gamaleya e Janssen 

Solicitadas informações de preços, estimativa e cronograma de disponibilização de doses, dados científicos dos estudos de fase I, II e III;

Pfizer/BioNTech
  • 8,5 milhões de doses até junho de 2021, sendo:

  • 1º Trimestre: 2 milhões de doses

  • 2º Trimestre: 6,5 milhões de doses

  • 3º Trimestre: 32 milhões de doses

  • 4º Trimestres: 29,5 milhões de doses

  • Total: 70 milhões de doses

Janssen 
  • 2º Trimestre: 3 milhões de doses

  • 3º Trimestre: 8 milhões de doses

  • 4º Trimestre: 27 milhões de doses

  • Total: 38 milhões de doses


Considerando o total de doses previstas para cenários diversos. Partindo da premissa que todos os acordos estarão disponíveis e serão cumpridos no quantitativo, podemos considerar que serão:


Fiocruz: 189 milhões
Butantã: 86 milhões
Covax: 42,5 milhões
Pfizer: 70 milhões
Janssen: 38 milhões
Total: 425,5 milhões de doses

Considerando que a população do Brasil está estimada em 212 milhões de pessoas para 2020, considerando que 64 milhões não poderão tomar vacina no primeiro momento, seja em decorrência de contraindicações clínicas como no caso das gestantes e puérperas, seja por não possuir segurança e eficácia, como no caso de crianças e adolescentes (menores de 18 anos), a população-alvo dos grupos estará dentro de um total de 148 milhões de pessoas.


Se considerarmos que são duas doses e as falhas operacionais podem variar de 5% a 10%, o país, no cenário mais amplo necessitará de 325 milhões de doses.

Projeção da população do Brasil e Unidades da Federação por sexo e idade para o período 2000-2030

Fonte: IBGE/Diretoria de Pesquisas. Coordenação de População e Indicadores Sociais. Gerência de Estudos e Análises da Dinâmica Demográfica.


Distribuição da Vacina AstraZeneca/Fiocruz Considerando o quantitativo de doses acordado inicialmente, as características específicas da vacina (AstraZeneca/Fiocruz), que incluem o esquema de duas doses, organizaram-se a campanha de vacinação contra a covid-19 em fases para atender inicialmente os grupos prioritários, conforme quadro 03. Além disso, definiu-se um percentual de perda operacional para esta vacina de 5%. Nesta perspectiva estima-se um total aproximado de 101 milhões de doses para atendimento das populações contempladas nessas fases (Quadro 3).




Para mais detalhes, clique na imagem para acessar a versão de 16/12/2020 apresentado pelo Programa Nacional de Imunização.


280 visualizações3 comentários